Vale a pena arriscar a própria vida em nome de uma paixão? E, se a sua paixão for o risco em cima de uma moto? Não é possível entender a vida e a trajetória de Evel Knievel sem, ao menos, deixarmos os julgamentos de lado. O que muitos chamariam de loucura, pode ser também interpretado como um enorme desejo pela aventura, pelo risco e, obviamente, uma enorme paixão por motos. Basta ver Evel saltando com uma moto, que a respiração para! É quase impossível não se admirar com esse fera!

Pintor e intérprete de dublê, Robert Craig Knievel Jr., ou Evel Knievel como ficou conhecido, era um amante da vida perigosa sobre duas rodas. Americano, nascido em 1938, Evel tem no seu currículo mais de 75 saltos de motos feitos de rampa a rampa, em locais que deixariam muito marmanjo corajoso tremendo feito frango!

Esse é um daqueles posts do tipo “não tente fazer isso em casa”, mas sem dúvida não poderíamos deixar de contar a história desse incrível encrenqueiro que peitou o medo para se aventurar insanamente em cima de uma moto! Somos tão fãs de Knievel, que deixamos nossa homenagem em uma nossas camisetas. Risco, aventura e paixão por motos são a cara da Bandana. Por isso, não poderíamos deixar de contar a história desse motociclista que encantou o mundo saltando em sua Harley!

A vida de um encrenqueiro

Desde criança, Evel era considerado como um garoto problema. Durante sua adolescência, além de furtar lojas de conveniência e cofres, ficou conhecido pelas trapaças nos jogos de carta. Contam que sua primeira moto foi roubada por ele mesmo aos 13 anos de idade.

Em 1956, após uma perseguição policial, Evel foi parar na cadeia. Dividindo a cela com Awful Knofel (o “Pavoroso Knofel”), Knievel recebeu o apelido de “Evil”, ou “Demoníaco Knievel”. Gostou tanto do apelido que mais tarde o registrou em seu nome original como Evel, substituindo o “i” pelo “e”.

Knievel trabalhou na mineração, mas em 1964 virou sócio de uma loja de motos e para chamar a atenção dos clientes começou a se exibir em pequenos shows, que envolviam performances com risco.

O gosto pela aventura e pelo perigo, somado à fama de seus pequenos shows, levaram Knievel para Vegas. De lá, começou a fazer a fama e também a grana em apresentações cada vez mais arriscadas.

Nossa homenagem à Evel Knievel. Clique para ver mais.

Sobre saltos e ossos quebrados

Em 1967, Evel fez um salto que quase o levou a morte. Em uma apresentação em uma festa de ano novo, promovida por um Hotel em Vegas, Knievel saltou entre duas fontes de entrada, porém perdeu o controle da moto e acabou despencando de mais de 46 metros de altura.

Um coma e muitos ossos quebrados, no entanto, não foram suficientes para fazê-lo parar. Depois de se dedicar à recuperação, Knievel saltou novamente em 1972 sobre 12 carros.  E alcançou a proeza de voar em duas rodas sobre 13 ônibus, além de atravessar um cânion com uma moto equipada com foguetes. Durante as décadas de 60 a 80, Knievel não perdoou e fez inúmeros saltos de caírem o queixo.

Com mais de 433 ossos quebrados, Knievel foi parar no Guinness de Recordes Mundiais, como o homem vivo com mais ossos quebrados da face da Terra!

Mesmo com uma vida tão arriscada e cheia de aventura, Knievel morreu em 2007 devido a complicações da sua diabetes e problemas no fígado. Teve um documentário em sua homenagem e seus bonecos viraram um símbolo para pequenos aventureiros e amantes das motocas.

Curtiu a história de Evil Knievel? Deixe seu comentário abaixo e não deixe de homenagear esse fera vestindo a camiseta de quem ama o risco e as motos!